Severiano Mario Porto – 86 anos

Severiano Mário Vieira de Magalhães Porto, um nome tão extensivo quanto a sua obra. Hoje, 19 de fevereiro, este homem generoso de ideias e traços completa seus 86 anos bem vividos de arquitetura e de vida. Severiano Porto formou-se em 1954 pela então Universidade do Brasil, foi arquiteto precursor em utilizar e divulgar o trabalho com a madeira, não como detalhe ou elemento de cunho estrutural, mas como material nobre de construção (principalmente na Amazônia, onde viveu mais de 30 anos) tendo ‘fabricado’ uma arquitetura Regionalista Eco-eficiente no sentido de “uma construção professa contra a homogeneidade e indiferença de uma cultura da virtualidade e da imagem” e, sobretudo, “(…) uma ação centrada em uma agenda de ética social “(como citado por Miriam Keiko Rovo em sua dissertação de Mestrado defendida pelo Proarq/UFRJ e ainda em seus estudos de doutoramento). Em seu percurso de trabalho projetual nos brindou com o Estádio Vivaldo Lima, derrubado para dar lugar à Arena da Amazônia. Também deixou sua marca na sede da Suframa, na Sede da Aldeia Infantil SOS, no Centro de Proteção Ambiental de Balbina , no Campus da Universidade do Amazonas, na Casa Schuster, entre outros. Em 1967 ganhou o Prêmio Nacional de Arquitetura com o projeto do restaurante Chapéu de Palha, no bairro Adrianópolis, onde hoje funciona um posto de gasolina. E há alguns poucos anos, por meio de coleção de todos os seus projetos e feitos para com a Arquitetura e o Urbanismo, e através da ajuda da Prof. Beatriz Oliveira e do acervo do NPD – laboriosamente cuidado pela Prof. Beth Martins – foi condecorado com o título Doutor Honoris Causa pela UFRJ. Parabéns, Severiano Porto. A FAU deseja que muitos ainda falem e aprendam com você.