Infraestrutura

Infraestrutura

Conheça os espaços oferecidos pela FAU - UFRJ: 

1AUDITÓRIO ARCHIMEDES MEMÓRIA
2AUDITÓRIO PAULO SANTOS
3BIBLIOTECA
Os alunos da FAU tem à sua disposição a Biblioteca Lucio Costa que é integrada ao SIBI-Sistema de Bibliotecas, conveniada às bibliotecas do IPPUR e da Escola de Belas Artes, que funciona no 2º andar do Bloca A, atualmente (2016/2017) desativada em função das obras que estão sendo feitas na laje da cobertura com verba da FINEP.
O acervo da Biblioteca Lúcio Costa faz parte da Base de Dados Minerva da Universidade. É composto aproximadamente de 16.558 volumes, entre monografias, obras raras, teses e dissertações, obras de referência, obras autografadas, coleções especiais (C. Haroldo C. Sousa e C. FAPERJ), obras básicas para o ensino, além de vídeos, slides e CD-Rom. Desde 2005, as teses e dissertações estão disponíveis na Base Minerva com acesso remoto. Também é importante destacar o acesso aos textos completos do Portal de Periódicos da CAPES. Está em fase de projeto a implementação da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações - BDTD, com o IBICT. O acervo inclui:
- 10.410 monografias (livros, obras de referências, folhetos);
- 1.599 títulos de tesesdefendidasna UFRJ, destacadamentenosdoisprogramas de pós-graduação da FAU (PROARQ e PROURB);
- 1.132 títulos de vídeos e slides;
- 1.107 CD-Rom;
- 1.742 títulosbibliográficos;
- 271 títulos de periódicos com 17.188 fascículos;
- Coleção FAPERJ (Edital 19/2009 e 15/2013) .
Além desses acervos, os docentes e discentes utilizam como apoio às suas atividades a biblioteca do IPPUR, que conta com mais de 23 mil títulos dentre livros, folhetos, periódicos, teses e dissertações, vídeos, CD-Roms e séries especiais.

Bibliotecária Responsável: Dilza
4NÚCLEO DE PESQUISA E DOCUMENTAÇÃO - NPD
O Núcleo de Pesquisa e Documentação –NPD foi pioneiramente criado doze anos após aos congêneres das ciências humanas na FAU-UFRJ pelo diretor, arquiteto Ulisses Burlamaqui. A 14 de abril de 1982 criava o Centro de Pesquisa posteriormente denominado Núcleo de Pesquisa e Documentação - NPD, como resposta à necessidade constantemente expressa pelos corpos docente e discente da FAU de fomentar atividades de pesquisa documental e histórica no domínio da arquitetura no país. Sua criação foi um esforço pioneiro no Brasil no que se refere à coleta, sistematização e análise da arquitetura segundo critérios técnicos de tratamento de suas fontes documentais primárias, e da apreciação histórica e teórica de tal arquivo.
É um importante acervo dedicado à Arquitetura na cidade do Rio de Janeiro, com 50.000 peças já catalogadas e cerca de 150.000 em processo de inventário, higienização e restauração: pranchas de desenhos de projetos de arquitetura, fotografias de obras e desenhos, modelos tridimensionais, documentos manuscritos, datilografados, livros, revistas e periódicos. O tema predominante é a Arquitetura e o Urbanismo no Brasil, e principalmente, no Rio de Janeiro. Dado o valor artístico, histórico e cultural que possuem as várias coleções existentes no NPD, servem tanto como auxílio e subsídio à formação dos graduandos em Arquitetura, quanto como material inédito de pesquisa para pós-graduandos e pesquisadores da área. A variedade deste acervo, a quantidade e a qualidade das peças permitem compará-lo, em importância, à maior parte dos congêneres existentes no mundo.
As atividades do NPD se desenvolvem de modo orgânico e sistemático não só em sua característica básica de centro de pesquisa academicamente constituído, mas também, como unidade intrinsecamente ligada às atividades de ensino, treinamento, estágio e aperfeiçoamento, empreendidas pela FAU. O NPD é um esforço permanente de articulação entre ensino (em seu mais amplo e rigoroso sentido) e pesquisa, preservadas suas particularidades de constituição e a especificidade de suas fronteiras face às demais atividades curriculares e às metas institucionais abrangentes.
Ao longo dos seus trinta e quatro anos de existência, produziu diferentes cursos, palestras, exposições e publicações foram produzidas tanto internamente, quanto externamente por pesquisadores, utilizando-se das fontes conservadas no acervo do NPD, em suas diferentes produções.

Responsável: Elizabeth Rodrigues de Campos Martins
5MIDIATECA
O Portal MIDIATECA DA FAU/UFRJ (http://www.midiateca.fau.ufrj.br) constitui uma importante ferramenta didática para a difusão, análise e reflexão teórica da produção acadêmica da graduação. Congrega, inicialmente, os Trabalhos Finais de Graduação (TFG’s) e, mais adiante, disponibilizará também os projetos realizados nas disciplinas de Atelier Integrado I e II, completando os trabalhos de conclusão dos três ciclos do curso – Fundamentação, Aprofundamento e Síntese.
A necessidade de disponibilização deste importante acervo se fez sentir logo após a implantação do TFG, iniciada em 1998. O grande número de trabalhos esgotou diversas mapotecas e exigiu uma nova plataforma de armazenamento e disponibilização, utilizando novas tecnologias disponíveis naquele momento. Em 2004 foi criada a primeira Mediateca do TFG, plataforma digital que apresentava a listagem completa dos trabalhos e tinha como objetivo facilitar a consulta do conteúdo completo, então armazenado em CD’s e DVD’s. Por dificuldades técnicas, a base de dados não pôde ser expandida, o projeto foi descontinuado e o material digital passou a ser armazenado em condições precárias, dificultando o acesso aos trabalhos. Em 2013, retomamos o projeto, buscando novas soluções e parcerias, de modo a ampliar ainda mais o acesso do sistema anterior.
Os TFG’s são individuais, de tema livre, desenvolvidos ao longo de dois períodos letivos e são submetidos a duas bancas compostas por, no mínimo, 3 arquitetos e urbanistas, dos quais um externo à FAU. Destacam-se diversos trabalhos premiados regional, nacional ou internacionalmente, que atestam o valor do conjunto e a qualidade da formação oferecida na instituição.
Este novo Portal, viabilizado por recursos da FAPERJ, pretende disponibilizar o acervo dos TFG’s produzidos nos últimos anos e manter atualizada a produção em curso. O banco de dados se encontra em fase de atualização e ajustes, e já tem informações sobre trabalhos produzidos desde 2008, com registros mais completos nos anos mais recentes. As consultas podem ser feitas a partir de diversos tópicos – temas, autores, períodos, orientadores, avaliadores, local - enriquecendo e multiplicando as possibilidades de difusão e de aplicação de tão importante produção. Para além da consulta a trabalhos individuais, instrumento de grande valia para os próprios alunos, queremos crer que a plataforma permitirá também uma visão panorâmica importante da produção do curso, ajudando a identificar tendências e questões no ensino e prática do projeto.
Para o seu funcionamento a Midiateca conta com dois computadores, um servidor e uma impressora e alimentação do Banco de Dados é feita por monitores bolsistas com a supervisão do docente coordenador no espaço destinado à Coordenação do Trabalho Final de Graduação, no quinto andar do Bloca A da FAU.
Responsável: Wanda Vilhena Freire
6LABORATÓRIO DE CONFORTO
Na década de 90, o currículo e o Laboratório de Conforto Ambiental e Eficiência Energéticada FAU/UFRJ passaram a atender às Diretrizes Curriculares e Conteúdos Mínimos de 1994, estabelecidos pelo MEC, que tornou Conforto Ambientalmatéria obrigatória profissionalizante, e explicitou o laboratório de conforto ambiental como requisito básico à abertura e funcionamento de curso em arquitetura e urbanismo. Assim, o LCE FAU UFRJ tem mantido como objetivos principais:
- contribuir para o conhecimento da relação entre lugar, clima e arquitetura, com vistas ao projeto arquitetônico e urbanístico, e ênfase na otimização das condições ambientais e redução do consumo energético;
- apoiar atividades de ensino, pesquisa e extensão da FAU UFRJ;
- dar suporte às atividades práticas das disciplinas obrigatórias e complementares relativas à Conforto Ambiental e Eficiência Energética do curso de graduação da FAU UFRJ, na sua fase mais recente;
- apoiar disciplinas de projeto do curso de graduação da FAU UFRJ, com destaque para Atelier Integrado I e II e TFG;
- apoiar atividades de pesquisa dos cursos de graduação e pós-graduação da FAU UFRJ (e, em casos específicos, outros, através de convênios);
- Apoiar atividades de extensão da UFRJ.
Foi criado simultaneamente com o Mestrado em Arquitetura (atual PROARQ), no final da década de 80, e desde 2006 ocupa área no térreo do Bloco D do prédio JMM, como resultado de esforços e cooperação entre a FAU UFRJ, PROCEL EDIFICA e Eletrobrás.
Atualmente, a prioridade de uso tem sido mantida para os alunos da disciplina obrigatória Conforto Ambiental II – FAT 351 (com 5h semanais), os quais somam um total de 120 por semestre (média de 5 turmas por semestre, ou seja, 24 alunos por turma, numa relação inadequada de 3 alunos por computador). Paralelamente à concentração do apoio às aulas práticas da disciplina, seguem as atividades de pesquisa (atendendo aos objetivos expostos anteriormente). A tradição e importância da pesquisa na Área (destaca-se a contribuição do PROARQ e PROURB) permitiriam alcançar excelência com o aprimoramento do LCE, que tem inclusive vocação natural para ser instrumento de integração entre graduação e pós. As atividades de extensão se beneficiariam de recursos humanos e materiais para atendimento e troca de conhecimento com a comunidade externa à UFRJ, em época de esforços para etiquetagem e certificação de edificações, visando a eficiência energética e qualidade ambiental.

Responsável: Claudia Mariz de Lyra Barroso Krause e Maria Maia Porto
7LABORATÓRIO DE MATERIAIS
Responsável: Marcos Martinez Silvoso
8OFICINA DE MAQUETE E LABORATÓRIO DE MODELOS 3D E FABRICAÇÃO DIGITAL (LAMO)
A Oficina de Maquetes e o LAMO buscam a inserção plena das novas tecnologias de fabricação digital dentro dos processos produtivos e de pesquisa da UFRJ. O LAMO começou como um Laboratório que pretendia atender os trabalhos de graduação da FAU/UFRJ, contudo a carência em fabricação digital, e principalmente em equipamentos colocou o Laboratório no centro das expectativas. Neste sentido passamos a atender pesquisas da Pós-Graduação da FAU, e depois pesquisas de diferentes unidades da UFRJ. Assim muitos dos logros em produto e pesquisa que a UFRJ obteve em 2014 e 2015 tem de alguma maneira passado pelo LAMO. Se antes realizávamos modelos para arquitetura, passamos a realizar protótipos de barcos, carros, drones, robós, próteses médicas, capacetes sensitivos, turbinas hidroelétricas e até os botos do campus passaram de alguma maneira pelo LAMO.
A nível de knowhow o Brasil está na retaguarda da fabricação digital e da automação. Em automação de acordo com Gramazio existem no mundo 25 universidades com centros de unidades robóticas, sendo unicamente duas na América Latina (nenhuma delas no Brasil). Neste sentido a procura de ampliação do LAMO permitiria quebrar essa distancia e colocar o Brasil dentro destas discussões de ponta, a ideia é concretizar um FabLAb que seja centro de referencia no Brasil.
Os objetivos gerais do laboratório visam poder dar atendimento a pesquisas essenciais que são da UFRJ e que extrapolam sobremaneira as atividades do nosso Laboratório. Como objetivos específicos apontamos para a divulgação e capacitação de processos de fabricação digital e automação.
A Oficina consta com um total aproximado de 430 m². Não sofreu reformas desde a construção do prédio e é necessário urgentemente atualizar as instalações de agua, esgoto, exaustão, coletores de pó, filtros de ar, ar comprimido e principalmente instalação elétrica. Assim como otimizar algumas divisões de espaço, os quais estão compartimentados de maneira precária.

Responsável: Andrés Martin Passaro
Site:http://www.lamo.fau.ufrj.br/

Galeria de fotos