Abertura  /  Componentes do Projeto

Particularidades do contexto urbano:
A favela Parque Royal localiza-se na Ilha do Governador, zona norte, no bairro da Portuguesa. Até os anos 30, a maioria das edificações da Ilha do Governador eram de uso militar. A construção da ponte ligando a ilha ao continente e a proximidade dos principais eixos de transporte da cidade - a Avenida Brasil, a ferrovia e, recentemente, a Linha Vermelha - determinaram um rápido crescimento populacional. Após os anos 70, a favela começou sendo ocupada por assentamentos de pescadores seguidos de imigrantes, principalmente do nordeste do país, empregados nas construções da Ponte Rio-Niterói e do Aeroporto Internacional. A área da favela tem como limite a Baía de Guanabara, dois canais e a estrada de Tubiacanga. Posteriormente desenvolveu-se um assentamento urbano regularizado para a classe média, com casas para funcionários e militares. A especulação imobiliária, introduziu o padrão das "cidades-jardim", com um sistema viário sinuoso. Todo esse desenvolvimento aconteceu nas imediações da favela original, que já saía das palafitas de madeira, levantadas sobre as margens da Baía de Guanabara, para novos aterros, numa tentativa de alargamento da costa. Até o início das obras do Programa Favela-Bairro, ainda existiam 500 famílias morando em palafitas.